Responsável por quase 80% do consumo de água de uma casa, o banheiro dos brasileiros tem agora um novo aliado. A empresa gaúcha Exatron desenvolveu, com apoio da Finep, um chuveiro que interage com o usuário e ajuda na educação para reduzir os gastos com água e energia. Batizada de MyShower, a ducha elétrica híbrida pode ter a temperatura da água e o tempo máximo de banho programados para até cinco pessoas através de controle remoto. Ao fim do banho, informa o tempo decorrido, o consumo de energia elétrica e de água, faz uma projeção do custo mensal e dá até uma nota para o banho a partir da relação entre consumo de energia, de água e tempo.
chuveiro interativo

Segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), o banho ideal deve ter duração máxima de oito minutos e consumo de água de três litros por minuto. O chuveiro interativo emite bipes de aviso – acionados a cada três minutos –, incentivando o usuário a tomar um banho mais rápido para economizar água e energia. A MyShower funciona tanto com água fria quanto com água quente, que podem ser produzidas por sistemas de aquecimento a gás, solar ou boiler. Quando combinada com outros sistemas de aquecimento de água, evita esperar até que a água quente percorra a tubulação para chegar à ducha, pois aquece a água fria armazenada na tubulação até a quente chegar, evitando o desperdício de água. No uso em conjunto com aquecedor solar, a ducha complementa a temperatura da água automaticamente em dias de pouca radiação.

Para o diretor da Exatron, Régis Haubert, a principal vantagem da inovação é a educação para um banho mais econômico e sustentável. “Sabemos que são através de pequenos detalhes que uma família consegue reduzir seus gastos no final do mês. E como o chuveiro, muitas vezes, é um dos vilões do orçamento doméstico, encontramos uma forma de colocar a tecnologia a serviço do bem-estar para um banho confortável e econômico”, destaca.

Banho na ponta do lápis
Em estudo realizado pelo Grupo de Chuveiros da Abinee e o Centro Internacional de Referência em Reuso da Água – entidade vinculada à Escola Politécnica da USP –, descobriu-se que o custo por banho de oito minutos varia de R$ 0,22 para o chuveiro elétrico, R$ 0,35 para o sistema de aquecimento solar, R$ 0,58 para o sistema a gás, R$ 0,22 para o híbrido (solar e chuveiro elétrico) e R$ 0,78 para o boiler. Se levada em consideração uma família de quatro pessoas, quem optar pelo chuveiro elétrico terá um gasto mensal de R$ 26,40; quem escolher o sistema de coletor solar vai gastar R$ 42,00; e para quem optar pelo aquecedor a gás irá desembolsar R$ 69,60.

De acordo com o estudo, o chuveiro elétrico apresentou um consumo de 4 litros de água por minuto contra 8,7 litros do solar (consumo 118% maior), 9,1 litros do sistema a gás (mais 128%) e 8,4 do boiler elétrico (110% a mais). O sistema híbrido, mais uma vez, apresentou um desempenho semelhante ao do chuveiro elétrico, com gasto de 4,1 litros de água por minuto. Outro dado apontado pela pesquisa diz respeito à água que é perdida no início de cada banho até se atingir a temperatura ideal. No caso do chuveiro elétrico, não há desperdício de água, enquanto no sistema solar ou boiler a perda é de 5 litros. No aquecedor a gás, a perda é de 4,5 litros.

Fonte: FINEP